Psicólogas: Sheila Lima e Silvia Lima

Fonoaudióloga: Nina Teresa Pires

Horário de Funcionamento: Segunda-feira à Sexta-feira
Manhã – 8:00h às 12:00h
Tarde – 14:00h às 18:00h

Atualmente, não podemos falar em processo educacional, sem falar em administração de conflitos, afetos e emoções. O psicólogo na escola trabalha para otimizar o processo ensino-aprendizagem nas áreas cognitivas e conativas.

Este profissional realiza uma intervenção prática no cotidiano escolar com o objetivo de promover a saúde mental através da profilaxia.

O papel do Psicólogo Escolar é de um profissional de ‘relação de ajuda’, tendo como objetivo realizar um trabalho que promova o desenvolvimento psicológico, pedagógico e social do educando. Para isso, será necessário seguir as seguintes metas:

  • Promover auto-conhecimento nos atores educacionais;
  • Orientar os alunos no desenvolvimento escolar
  • Prevenir possíveis demandas na área psico-pedagógica;
  • Minimizar dificuldades escolares;
  • Possibilitar aos alunos análises de suas capacidades intelectuais;
  • Propiciar melhores maneiras de estudar.

O papel de um profissional de fonoaudiologia no ambiente escolar

De acordo com a Lei 6965, de 09/12/1981, que regulamenta a profissão, é de competência do fonoaudiólogo que trabalha em escolas desenvolver trabalho de prevenção no que se refere à área da comunicação oral e escrita, voz e audição e também participar da equipe de orientação e planejamento escolar, inserindo aspectos preventivos ligados a assuntos fonoaudiológicos.
A atuação do fonoaudiólogo que trabalha em escolas difere do profissional que atua em clínica e hospitais. Na escola, o fonoaudiólogo atua de forma preventiva, enquanto que em clínicas e em hospitais essa atuação é terapêutica. Não compete ao fonoaudiólogo que trabalha em escolas realizar terapia fonoaudiológica.
O trabalho fonoaudiológico no âmbito escolar é amplo e de grande importância no processo educacional, além de acompanhamento com os alunos é realizado um trabalho com os educadores, no sentido de utilizar técnicas que auxiliem de uma forma diferenciada na prática, assim são capazes de detectar possíveis distúrbios e fazer os devidos encaminhamentos.
A escola orienta a família, encaminhando os alunos que apresentam alguma alteração da comunicação para triagem ou avaliação, e por sua vez, o fonoaudiólogo trata dessas alterações. No trabalho interdisciplinar, a troca de experiências e de informações facilita e ajuda a criança no seu desenvolvimento.

  • Promover melhorias à saúde vocal dos professores;
  • Enriquecer a prática pedagógica e o processo educacional dos alunos, por meio de assessoramentos, consultorias e atividades específicas;
  • Prevenir possíveis patologias da comunicação;
  • Detectar alterações de linguagem oral ou escrita;
  • Realizar os encaminhamentos necessários.